Mazah [2]   2 comments

Um ano atrás, eu escrevi um post nesse blog. Há exatos 365 dias eu explicava, sem ter maiores motivos (claro), porque eu não gostava de aniversários, e dava parabéns pra uma garota, que eu tinha conhecido há menos de 10 dias, pelo Twitter, de um jeito meio bizarro, em um dia de quase Natal (período entre o dia 22 e 24 de dezembro).

Essa garota, que demorou mais um tempo pra gente acertar nossas diferenças, acabou virando tema de um post meu, sobre aniversários, no dia do aniversário dela. Quem ouve Los Hermanos ou qualquer bandinha pop romântico-adolescente sabe que isso ou ia dar merda ou ia dar uma música grudenta (uma variável de merda) – Pois então, deu merda. Pra quem eu não sei, mas deu. Acho que deve existir um nexo causal de fazer-um-post-de-aniversário-pra-alguém-do-sexo-oposto que necessariamente leva a um relacionamento, mas isso não importa; deixarei para vocês tentarem e descobrirem.

Mas sei que há um ano atrás, eu olhava pra tela do computador, e escrevia para essa garota, num post de um blog inexpressivo, sem saber quem ela era, mas com um único intuito: o amor a trollagem – afinal, escrever um post contra o aniversário, detonando as comemorações de alguém, e dar parabéns no final, se não for trollagem, eu não sei o que é.

E não dá nem pra salvar, com uma música meio sertaneja, falando que era uma trollagem de amor, ou trollagem de amor não dói. Entre trollagens e parabéns, talvez, mas… naah – rola não.

O negócio é que, conheço essa Joyce há uns 370 dias, que é quase 400. O que não é porra nenhuma. Desses 370, a gente passou junto uns 25, que não dá nem o dízimo disso. Mas da primeira vez que a vi, ali no dia 10 de abril, às 6:07 da manhã (o meu ônibus, circular, atrasou, o dela, intermunicipal não), numa rodoviária de uma cidade que nenhum de nós conhecia, a 6 horas da casa dela e a 20 da minha, eu sei que rolou alguma coisa muito bizarra, e não foi a coca que eu pedi na lanchonete 4 minutos depois (talvez ela não ter me criticado por isso, e pior, ter tomado dois goles), sei que meia hora depois a gente estava sentado num banco de praça, com a cabeça dela no meu colo e eu pensando –VÉI QUE ESSA GAROTA TÁ FAZENDO AÍ?

E ela estava olhando o céu. Aquela garota do twitter, a crentinha, a teóloga, que falava em ‘jovens cristãos’, ‘epistemiologia’, ‘escatologia bíblica’, e sabia citar pelo menos 5 reis Assírios e de qualquer outra civilização bíblica à sua escolha, bom, essa garota estava com os lábios colados aos meus, às 9:20 da manhã, ouvindo William Cosmo na casa de um (ainda) quase desconhecido para nós. Sim, eu estava hospedado na casa de um quase desconhecido.

E daí, saindo da casa de um rabino, esta teóloga protestante, evangélica ungida, foi para o Bosque do Papa – e lá ela caiu (não literalmente, literalmente ela escorregou várias vezes, sem cair nenhuma). Lá todos aqueles assuntos sobre como encontrar um amor, como se portar frente a um garoto, e como começar um relacionamento abençoado foram esquecidos, rasgados, empilhados, queimados e suas cinzas jogadas entre as casinhas polonesas.

Logo antes de comprar um bolo de chocolate polonês (que reza a lenda que era melhor que os brasileiros, ela pode confirmar pra vocês), bom, a casa caiu, rapaz.

E, mais tarde, no mesmo dia, a primeira despedida, neste mesmo 10 de abril – e um ônibus perdido.

A partir daí, a história se repetiu várias vezes, em meio a várias brigas, discussões e choros. Choros de alegria e de tristeza, de saudade e de irritação, de amor e de frustração. Acho que nós contemplamos o fim do nosso relacionamento a sério duas vezes, mas em nenhuma acho que ficamos tão perdidos quanto ficamos naquele 10 de abril. Sem um relacionamento definido, sem uma promessa, sem uma chance de nos vermos novamente, tudo parecia se acabar ali, morrendo antes mesmo de começar. Como eu iria colocar no status do meu facebook?

E foi buscando uma perfeita atualização do meu facebook, pouco mais de um mês depois, a pedi em namoro – e fiz a minha melhor escolha de 2011 (e de muitos outros anos também).

Joy, parabéns por sobreviver mais um ano. E mais – parabéns por ter ME aguentado e sobrevivido a isso durante um ano. ISSO sim é algo a se comemorar.

“Hoje é aniversário da @joyceAdeline. Bom trabalho, em sobreviver, garota!”

Anúncios

Publicado 12/29/2011 por Abigobaldo em dorgas

2 Respostas para “Mazah [2]

Assinar os comentários com RSS.

  1. Lindo!!! Me surpreende sempre esse garoto…

  2. OUUUUN que fofura esse rapaiz hein kkkk, ps.o armário da minha cozinha parece neste post, pss.e daí? hauhauhahuahuahua

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: